Número total de visualizações de página

segunda-feira, junho 16, 2008

cavalo á solta.


00.11
O tempo acaba por ser como um rio que caminha para o memso lugar de sempre. Combater essa agonia, passar a noite passar o dia até crescer mais um dia.
Não vou guardar muitos mais segredos,nao vou esconder mais olhares nem contêr vozes que discuto com todo o fervôr. Que se lixe,quero ouvir o ritmo certo,encontrar a bitola certa e partir num carril qualquer. eu,e mais nada. Não posso mais passar pela curva e esperar pelo outro lado pelas luzes.Não mais.Faço a curva e nao volto a sair do carro á espera de algo que venha...vou partir.
Calor,musica,o mar,o futuro,mais nada(ninguem). Mas sinto-me bem,por motivos futeis,mas sinto-me. Pela segunda vez consecutiva,bastou-me olhar com olhos de "olhar" e vi..afinal,nao foi uma grande merda.(sim,no sentido real da palavra).
O que se retêm acaba por ser a"filha da putice"(que termo perfeito) dos actos,mas isso acaba por ficar para quem os comete,mas isso implicaria carácter,e só os sêres vivos têm carácter,logo se nao é um ser vivo é o que...nada. Daí nao ter uma dor que seja,não que este texto venha a proposito de coisa alguma,apenas como a caneta toma os seus caminhos,aqui numa extensão do corpo,conotado como teclado,os dedos acabam por ser embalados por esta ou aquela musica,esta ou aquela imagem que se retêve,e os sentimentos intrínsecos que se insurgem por si só.
Tal como o Saramago disse no outro dia,a propósito de uma citação do Padre Antonio Vieira,(uma frase super eloquente mas super simples)... Provavelmente ,nao..provavelmente não,com toda a certeza que os artificios e psalavras pomposas,qual canção do bandido,que se dizem por vezes acabam por esconder apenas meras simplicidades. E isso acaba por ser meio hipócrita,porque é um esconder,é uma pele que se veste quando na realidade seremos todos bem mais simples que pensamos.
Eu próprio tambem o devo fazer,mas penso-o de dentro para fora,tal como o "outro" pensará o mesmo..talvez seja a capacidade natural de cada um para complicar,ou entao é só a minha queda natural para pensar demasiado.Que se foda(desculpem o termo)nao me preocupo mais com isso,mesmo que complique...vou seguir.
Seja como fôr nao me preocupar muito mais com o que vem atrás,seguir qual richard ashcroft naquele videoclip dos "the Verve" em que simplesmente passa por tudo e por todos sem parar..é esse o caminho,não parar.
Vou olhar como sempre nos olhos,mentira eu nao sou capaz de olhar nos olhos,mas vou manter a postura(pode ser que chegue),quebrar os sentimentos e sensações e mesmo quando me sinto só vou manter esta pequena força que me aquece.
Tenho (temos todos)muita coisa por agarrar.Mesmo num banco de jardim, ou numa estrada qualquer quando tenho dó de mim nao me vou separar do meu orgulho.Jamais. Sabe a pouco?!..sim sabe,mas nao quero mais saber dessas magoas que nos levam pelo pó e pelos corações cansados,nao vou mais secar esta vontade.
é isso,trocar o fado antigo e fazer uma nova canção. Tenho o Sol,"aqueles" que sabem quem são..e mais nd preciso. Quando tiver que dar,mesmo que seja num dia sem sol ou sem a lua,irei dar o que tenho..(á pouco a falta de modéstia era por ironia,agora ja me está a assustar).

Montanhas,escaladas,curvas,marés,curvas,campos verdejantes "da cor do limão"..
manter-me ousado com as rédeas de mim mesmo bem presas na minha mão.Estou a caminho sem pensar no que vá respirar ou provar,esta força que de novo me assalta veio não sei de onde mas veio. As amarguras de correr contra as espadas que me trespassaram ja morreram..
Digo mesmo.Digo!!!
Vou procurar como sempre o alpendre para descansar,mas nao olho para trás.nao é esse o caminho,alegrias e aventuras estão aqui na palma da minha mão.
(percebo o porquê dos Fados serem o que somos..)
Tenho muito valor fodasse,tenho! não me importa,eu sei o que passei,o que ultrapassei,o que nao dormi,o que dei,o que nao recebi,o que me fizeram,o que pulei,o que conquistei,o que lutei. Sempre lutei,sempre.~
Ás vezes penso no dom que possa ter,e sinceramente nao tenho jeito para nada,mesmo!nao há nenhuma "Arte/Ciencia" que diga,"sim senhor,tens muito talento".Não tenho..nunca tive. Não sei se é uma virttude ou pecado tudo isto,mas quando penso no que fiz,em tudo que fiz.Uma palavra apenas me insurge: Lutar.
Nunca fui o mais talentoso,mais inteligente,o mais feio,mais bonito,mais simpatico,mais culto,mais prático,mais real,mais sonhador(talvez..),enfim este texto hoje está virado para mim,até sinto vergonha desta merda,mas é hoje "foi assim"..
Lutar,mais nada. Subir,descer(ou cair),tirar o pó do corpo,levantar e seguir.Mas isso é o que todos fazem..tá bem,mas cada um sente á sua forma,e cada um tem as suas historias. eu ainda estou a escrever a minha. Que impasse que é viver assim.enfim essa condição nem vale mencionar,mas sinto-me mais forte. Sinto. Mesmo vendo as portas fechadas por aqui e ali,mesmo sentindo-me chato como o raio,estou mais independente,mais "Eu"..
é isto..mesmo martirizando-me a dor ja nao me toca,mesmo.Pelo tempo,por mim,ou porque vi como deve ser?!
Eu sei o que valho,mentira...eu acho que tenho receio por vezes de ver algo mais em mim que um lutador,secalhar não o devia fazêr.
estou mesmo sem saber como continuar,porque nao me defendo em elogios de pessoas que adoro,pessoas de quem sou amigo,nao seria leal comigo mesmo nem com elas,não será pelo Sol,pela ocupação,por me sentir mais forte,bonito não sou,sei disso.Mas tenho coração.fodasse, é isso.eu tenho coração.Acho que depois de um certo tempo voltei a ter consciencia disso.Eu Tenho Coração.
00.48
a foto é minha,todos os direitos reservados.

2 comentários:

Filipa disse...

O caminho é esse. Não me perguntes qual. Não o conheço nem conhecerei sem o percorreres primeiro.

Sei tão somente o que sabes. Que só tu sabes o que passaste, o que ultrapassaste,o que nao dormiste,o que deste,o que nao recebeste,o que te fizeram,o que pulaste,o que conquistaste,o que lutaste. O que lutas. O que lutarás. Sempre. Sei que vales. E que o que vales é o teu valor. E que ele valerá muito mais ainda depois disto.

Voltar e ter consciência disso é viver.

violet baudelaire disse...

palavras evocativas de fôlego, de chegar à superfície para sorver ar com vontade depois de permanecer debaixo de água!despertar dos sentidos a percorrer a américa do sul de mota, pelo menos em mente...visões que esgotam palavras que ficam por pronunciar! palavras que sabem a algo que foie scrito de uam assentada, sem hesitar, sem depurar...pensamentos em ligação directa com a mão, sem racionalizações..sê sempre inteiro..um pure pleasure seeker!sei que não hesitarás, não ficarás sentado à espera qual humpty dumpty no cimo de um muro...já caíste, para voar...* nothing can break you know

Real Time Web Analytics