Número total de visualizações de página

segunda-feira, fevereiro 28, 2011

(ainda)sem carnaval cá dentro.









nao compreendo. se nada bate, como pode a cabeça pedir uma explicação absurda. nao vejo, nao sinto, nao toco, nao quero. se sai do combate ha tanto tempo. se cerrei punhos e fechei os olhos, se levei as sinas e as cinzas de todas as horas. ouvi o tempo e nao liguei as mentiras. aqui estamos fartos. mesmo farto de demoras em ver o que nao se tem. do que se está á espera? a apagar do que ontem nao era. nao importa, nao vou construir. eu olho para a verdade que me cegou, fechei os olhos e hoje nao sou capaz de sentir mais. nao deixo que me toque qualquer calor ou sol. posso até cantar um verso de cor, posso até abrir o peito ao mar que me é igual. (no que me fizeram, como é possivel..) tenho aí tudo. mas mesmo tudo. e nao o quero por agora. parece que espero propositadamente, como se estivesse a ver um filme com um final que só eu conheço. eu nao deixei de ser mordaz como disse a musica. nem me sinto fraco como canta o outro. de todo. com uma força de pegar o castelo com as duas mãos sei disso. ouvi, e deixo correr. sem pensar tanto, mas é isso... se nao penso, deixo de sentir. eu sou assim, com o Bom e o Mau. a mudança surge por si só quando tem de surgir. porque tem de surgir. com mil raios e coriscos, que calmia dilaceranete. de tanto bater, o coraçao parou. parou mesmo. e preocupo-me com isso. que o mergulho do regresso ja foi para o fundo. aquele fundo que quando olhamos já la vai aquela entre-aberta. este é um texto cheio de paz, de ja nao sentir "cousa" alguma. e sim estar apreensivo com o nao sentir. acho que preferia ainda ter calor cá dentro e viver com o peso do mundo, que ter a força de mil homens e sentir tudo invisivel ao meu peito. obs: fazia-me bem conhecer alguem que soubesse o que era sentir á séria. como nos filmes. pobres almas essas que se enganam.

Jamie says Sometimes the things you want the most don't happen and what you least expect happens. I don't know - you meet thousands of people and none of them really touch you. And then you meet that one person and your life is changed.

Love and other drugs (Edward Zwick, 2010)

ps: isto surgiu porque estou preocupado com o facto do carnaval de 2011 nao me estar a dar pica nenhuma...e eu amo o carnaval.(ah... agora ja percebi)


A sensação que tens
é de que tudo
quanto dizes já o leste
noutros livros. Mas
depois consideras: também
o sol e os pássaros
repetem todos os dias
a mesma canção.

Albano Martins

ps2: estou de volta. fodasse.


sábado, fevereiro 19, 2011

sexta-feira, fevereiro 18, 2011

...



pois 2.

Lying to ourselves is more deeply ingrained than lying to others.

por Fiódor Dostoiévski


vi no folhas soltas, super blog. e confirmo.

pois.

normalmente, nao dá para resolver um problema, com o mesmo pensamento que o criou.. hum?..

quarta-feira, fevereiro 16, 2011

video fantastico

CUT COPY - Corner Of The Sky [Music Video] from Lee Iovino on Vimeo.

olha e que tal..

andanças este ano?!...



a pensar nisso..



ver se arranjo companhia.

21 yeah.



um bar em Sao Paulo.
uma avenida a meia luz, final de verão.
uma porta aberta e la fora vê-se um corredor comprido para um balcão.
alguem está sentado numa cadeira alta junto ao balcão com um bloco.

a tempo..02.20.

...

back to my road. at last. it was a single episode.



e perdi eu este concerto...

segunda-feira, fevereiro 14, 2011

terça-feira, fevereiro 08, 2011

domingo, fevereiro 06, 2011

by lopesca

"Ganhamos força, coragem e confiança a cada experiência em que verdadeiramente paramos para enfrentar o medo."
Eleanor Roosevelt
Real Time Web Analytics