Número total de visualizações de página

quinta-feira, setembro 22, 2011

dependencia. Portugal. uma ideia

Público

Sexta-feira 8 de Julho de 2011

Dependentes

"Estamos dependentes da União Europeia. Estamos dependentes da agência Moody's. Estamos dependentes do Banco Central Europeu. Estamos dependentes da Alemanha. E do FMI. Estamos até, com a lógica de um silogismo aristotélico, dependentes da Grécia.
Afonso Henriques foi o primeiro protoportuguês a perceber que não era bom Portugal ser dependente - por muito boas que fossem as potências de que dependíamos.
Custa ser-se independente e é doce e morno ser-se dependente. Fazemos de conta que estamos entre amigos. Só que, como a Moody's espertamente averigua, não somos suficientemente ricos para pagarmos aos mais ricos que nos emprestaram - e emprestarão - dinheiro.
A questão tem de ser posta ao contrário: se Portugal não pagar o que deve, sofrerão os bancos e países que apostaram que seriamos capazes de pagar o juro guloso que nos cobraram? Sofrerão pouco. É esse o rating que nos interessa e que ninguém se dá ao trabalho (porque não dá lucro) de calcular: quanto empobrecerão os bancos e países que nos emprestaram dinheiro se nós reconhecermos que não temos dinheiro para pagar?
É pouco. O euro é uma moeda ditada pelos ricos para extrair dinheiro aos pobres. Cria uma independência insolúvel: a dos criados que pedem dinheiro emprestado aos patrões, sabendo ambas as partes que nunca se conseguirá pagar. O nosso poder, mais do que não pagar, é não pedir e não precisar de depender. Nós somos Portugal e, sem independência, não somos (quase) nada. É fácil."

Miguel esteves cardoso.

NY

sábado, setembro 17, 2011

scene do rocketman.



acho que todos os gajos percebem o quanto isto deve ser dificil.

mas tem sempre de ser feito.

um gajo tem de se libertar de uma vez por todas.

quarta-feira, setembro 14, 2011

cores e abraços



sabe-me a abraços. a um encontro. um encontro daqueles que vemos a pessoa a vir la ao fundo no jardim, caminhando um até ao outro.
como se fosse um reencontro. olham-se, e abraçam-se simplesmente.
bem sabem que lá no fundo ainda acredito na magia, mas hoje esta musica fez-me sentir isto.
(ouçam o novo album de beirut)
amo estes sentimentos, estas sensaçoes estas maos dadas, este vento e estas cores ao fundo. sou um gajo romantico é verdade. confesso. um dia hei-de ter uma coisa assim. sentir ali um batimento do outro lado que me inunda de calor.
sabe-me a abraços.
saudades de abraços.
o sol continua e há muita estrada pela frente.

enfim, está calor, vou sair para a rua.


Tout s'en va, tout se meurt
Tu ne crois plus à notre bonheur
Et tu deviens sans raison ni cause
Nerveuse et morose, Rose, Rose

Rose, Rose, ah oui! je me souviens
J'avais quoi, dix-sept ans, toi peux être un peu moins
Quand tu séchais les cours et venais le matin
Pour m'apporter ton coeur comme un bouton de rose
Rose, rose, amour de mon passé
Quand tu venais me voir dans ma chambre au grenier
Je trouvais que ta peau sentait le foin mouillé
Et quand je t'embrassais... mais ça c'est autre chose

Tout s'en va, tout se meurt
Tu veux fermer ta porte à mon coeur
J'entends déjà le vent qui se lève
Pour chasser mes rêves, Eve, Eve

Eve, Eve encore un souvenir
Qui m'a brûlé le coeur avant que de faiblir
J'ai cru devenir fou, j'ai voulu en mourir
Mais le temps guérit tout, un jour sans crier gare
Eve, Eve à mordre follement
Dans le fruit de l'amour, on se brise les dents
Si tu m'as fait du mal j'ai conservé pourtant
Le souvenir des jours... je crois que je m'égare

Tout s'en va, tout se meurt
Je sens qu'en moi s'installe la peur
Tu as déjà bouclé ta valise
Et je réalise, Lise, lise

Lise, Lise ou es-tu aujourd'hui
Toi qui mourrais le jour pour renaître la nuit
Toi qui marchais pieds nus en rêvant sous a pluie
Abhorrant le soleil mais adorant la neige
Lise, Lise et tes cheveux mouvants
Fantasque, inattendue, mi-femme et mi-enfant,
Qui tombais dans mes bras parfois en sanglotant
Ou en riant très fort... voyons ou en étais-je?

Tout s'en va, tout ce meurt
Je ne suis plus qu'une ombre dans ton coeur
Et je vois bien qu'en toi tout s'apprête
Pour d'autres conquêtes... Kate, Kate

Kate, Kate à l'accent que j'aimais
Qui malgré ses efforts lorsqu'elle s'exprimait
Ne pouvais s'empêcher d'écorcher le français
Qui bien qu'étant anglaise était pourtant d'argile
Kate, Kate avait mille trésors
Et des taches de rouille agrémentaient son corps
Comme si ses parents l'avait laissée dehors
Trop longtemps sous la pluie... le bonheur fragile

Tout s'en va, tout se meurt
Mais le printemps reviens vainqueur
Les bras chargés de rêves et de fleurs
Et sèche nos pleurs
Et sème en nos coeurs
Ses grains de folie
Ainsi va la vie

segunda-feira, setembro 12, 2011

sexta-feira, setembro 09, 2011

coisas boas.





salto!



gosto muito!
este pessoal de Braga tem classe

moral da historia completamente esbatido em contradições.


Por vezes fico na duvida se será bom ou mau "chegar-mo-nos" á frente.

Há quem chame, "tê-los" no sitio, há quem lhe chame suicidio/masoquismo.

sinceramente nao tenho a resposta objectiva para a pergunta. Isto vem a propósito de uma conversa com um amigo que estava com uns dilemas, e acabamos por nao chegar a conclusao alguma.

hoje vivem-se "épocas" de mudança, de astros, de energias novas, de 2011 e anos que marcam quem ficará nas nossas vidas ou não, de aquário e fases egoistas, de "naturalmente" as pessoas teêm todas tendencia para ficar a sós, porque nao têm tempo, vontade ou disponibilidade para alguem. porque a nossa noçao de relaçao monogamica está a mudar... aquele conceito "cristao romano" vai mudando, os filmes da pipoca com as relaçoes "intermitentes" surgem e as pessoas acabam por viver assim. Pessoalmente acontece-me o mesmo, é verdade. Não tem nada a ver com desvanescer com os sonhos, mas o "sem expectativas" dá-te assim dois contrastes.

Ora vais á guerra e "dás a cara á morte", pois vive-se assim mesmo e aguentas-te á bronca... ou pões-te de parte e vais "sobrevivendo" sem expectativas saltando de cama em cama...

não tem de ser de cama em cama, mas com um mundo cheio de miudas giras, cheias de vontade de tudo... é complicado para um gajo dizer que nao, nao é?! ... isto pode parecer machista, mas com as raparigas passa-se o mesmo... exactamente o mesmo. a censura é esbatida e nao deve haver porque"somos todos seres livres", mas depois mesmo que haja o compromisso ou a relação, que certeza podes tu dar (sejas ele ou ela), se vives"mais só" que todos? se vais ao chiado e é só mulher gira para onde te viras, se vais sair á noite com as tuas amigas e se és assediada a mil metros de distancia?!..

sobreviver sem medo. digo eu. porque apesar de te mandares ao touro, mesmo sabendo que podes levar uma pancada bem forte, ás tantas acabas por gostar dele (ou da pancada em alguns casos)... normalmente o ser humano tem tendencia a gostar de quem pior nos faz, daí ser tudo um mar de contradições.

há que ser sincero. se ela gosta mais de ti do que tu dela (que nao digam que nao acontece pois acontece imensas vezes), tens de dizer para ti mesmo, e para ela mesma que ninguem pode criar expectativas...porque ninguem quer por a cabeça num cepo nos dias que correm. E depois é deixar que se os dois demonstrarem vontade que aconteçam os bons episodios, algo mais se vá propagando mas mesmo assim..(e agora vem a minha parte), é bem possivel que vás cair um dia destes.

ou então como diz o outro, "se não souberes, nem faz mal nenhum"... ou seja... voltamos ao ponto de partida, para quê entao tudo isto?!

secalhar ja nao nos é tao natural "sermos uns para os outros" porque estava "escrito"... as relaçoes mudaram e ponto final. mas a verdade, é que grande parte deve andar bem insatisfeita... até lá..é ir comendo o que aparece.

mas e agora expliquem os/as comprometidos/as , garantidamente felizes e confiantes, que só sabem é dar facadas?! são escapes, sao desvarios loucos de desejo que como no filme de domingo, e na novela isso acontece.. tambem nao nos podemos negar ao que somos. e somos todos feitos de hormonas, mas tanto assim é que ja nao tenho bem a certeza.

ao ponto de retorno novamente.

pessoalmente creio que o segredo pode estar, repito, pode estar, num limbo entre o viver porque se sente algo mais com essa pessoa e o nao criar expectativas. isto na teoria é facil, mas depois das noites de hotel , das noites a dançar, jantares, e sexo com fartura...a coisa ja complica mais.

certo?!...

ter uma lista de "requisitos"pode ajudar, mas tambem nao te podes agarrar fielmente por 3 razoes:

Deixar surpreender.

As tuas prioridades mudam por vezes de dia para dia, onde descobres que dentro de ti ha uma vontade de comer tudo o que mexe, ou de simplesmente "casar"...daí as frequencias e timing's de vida terem de estar bem alinhados (o que por si só nao é suficiente)

E o terceiro motivo é que realmente até alguem que nao preencha essa tua lista, pode-te fazer muito mais feliz do que aquilo que tu imaginas...

depois, é deixar ir acontecendo e pensar que se foi assim "é porque tinha de ser" e vais aprendendo o melhor que possas... mas manda-te pá... que se lixe.

ir tentando ver uma coisa maior, tentando ver que realmente nao precisas tanto disto, precisas mais daquilo, que daqui a 4 anos, se os teus desejos se mantiverem, aquela pessoa é capaz de te acompanhar aonde quer que seja, (acho que insconscientemente vou recusando o facto de as pessoas hoje estarem feitas para estar sós)...mas daqui a uns anos já pode nao ser...

cada um faz o seu projectos, e depois se do outro lado estiver alguem que te vá preenchendo ou acompanhando...give a chance. mas ja sabes, com aquelas contradições todas que te levam ao ponto de partida.

(lembrei-me agora daquela dos cool hipnose...)


não se limitem é a viver "á parva"...que isso é merda.

sei que este texto nao está grande espingarda, mas tambem nao vejo assim muita gente que valha a pena.

até ver.

estas num ponto sem retorno, no dia em que te deixares levar, embalado pelo sonho, de amar aquilo que encontrares.

é verdade nao é?!

quarta-feira, setembro 07, 2011

sexta-feira, setembro 02, 2011

O Vencedor





Olha lá quem vem do lado oposto
e vem sem gosto de viver
Olha lá que os bravos são escravos
sãos e salvos de sofrer
Olha lá quem acha que perder
é ser menor na vida
Olha lá quem sempre quer vitória
e perde a glória de chorar
Eu que já não quero mais ser um vencedor,
levo a vida devagar pra não faltar amor

Olha você e diz que não
vive a esconder o coração

Não faz isso, amigo
Já se sabe que você
só procura abrigo
mas não deixa ninguém ver
Por que será?

Eu que já não sou assim
muito de ganhar
junto às mãos ao meu redor
Faço o melhor que sou capaz
só pra viver em paz.


Real Time Web Analytics