Número total de visualizações de página

quarta-feira, dezembro 03, 2008

uma corda com um texto redundante.


23.10
estranho este peso. não do verbo estranhar,mas sim do adjectivo.
É estranho. verdade que é, quem me dera conseguir encontrar muitos mais adjectivos para o peso que sinto. Não, não tenho o peso em cima dos ombros e quero salvar o mundo e livrar tudo isto do Mal e das coisas más. Mas falo mesmo com todo o egocentrismo que possa existir,falo apenas do peso que sinto em ter de virar isto para algo bem mais positivo. É apenas um final de dia, dia esse como outros em que tenho tido boas e más sensações como todo a alma pedante que anda por aí.
É mais cansaço..como se tivesse acordado com o peso, ter feito coisas produtivas ao longo do dia, ter tido uma boa noticia,(nada de mais acreditem,mas é sempre bom), e...aqui estou. É estranho pois sinto um aperto estupido no estomago, um misto de ansiedade, de revolta, de carência, de impetuosidade, de normalidade afinal de contas. É um optimismo, um desgaste que fica. Como uma corda que nos dão assim que acordamos, daquelas bem dificeis de agarrar, e passamos o dia todo a puxar essa mesma corda. Sentimos ao longo do dia que por momentos precisamos duma força monstruosa para a suportar, por momentos nem damos por ela, outros corta-nos a mão e os dedos, doi mesmo acreditem, mas está aqui. Na minha mão. Bem firme. É só isso que tenho. uma corda suportada por toda a minha força. Amanhã acordo bem cedo e tenho logo outra força por suportar, mas estou aqui. (isto é mais um livro de auto-ajuda que outra coisa mas pronto)
Um misto de grito, de nao suportar mais um certo limbo, de me doer, de me habituar a essa dor. Ás vezes acho que me falta o orgulho onde não devia. É publico para os que me rodeiam que a conjuntura não é a melhor,mas ainda assim mantenho-me forte. E este peso acaba por ser um tudo nada demasiado a estas horas, como se tivesse uma intuição qualquer, uma ansiedade pelo próximo dia. Por outra corda por suportar, por mais musicas, por mais lutas, por esperanças, por gritos ofuscados pelo frio e pelas proprias mãos.
É um pouco isso..sentir a balada enevoar-me e deixar-me levar de olhos bem fechados. Não é de todo uma estrada perdida(sim.. "Lost Highway"), eu sei o meu caminho, sei para onde quero ir, mas um dia ser apenas mais um dia com as mesmas cores e com os mesmos pecados, cansa.
Amanhã irei acordar como tenho de acordar, á noite, logo vejo as marcas que tenho nas mãos.
23.32

obs:eu não tenho mesmo jeito nenhum para escrever, juro que sei disso, e sei que isto tá uma bela merda, de verdade. Só que..chega-se a uma certa altura que preciso mesmo de mandar umas ideias estupidas e metáforas redondas com pouco ou nenhum sentido. É um síndroma meio estupido, acreditem que eu sei. Só que..epa perdoem-me por estas barbaridades, mas ás vezes tenho de o fazer. A foto é minha e quem a usar indevidamente vai para o inferno e será açoitado por um pau de marmeleiro até haver justiça no mundo.
Como a minha amiga (tu sabes quem és) me disse agora, epa pronto.. se isto é meu, tenho de dizer o que me passa na cabeça mesmo que seja uma coisa estupida sem sentido algum.
É assim e pronto.

7 comentários:

Olhos de Lince disse...

"A estrada para o sucesso não é uma recta... Há uma curva chamada dificuldade, uma lomba chamada desilusão, pneus furados chamados negativos, muitos sinais de proibição, um stop chamado fracasso...
Mas se tiveres um motor chamado determinação, um seguro chamado persistência, um motorista chamado entusiasmo e um combustivel chamado sonho... Facilmente chegarás a um destino chamado sucesso e poderás estacionar num lugar chamado felicidade..."
Frase feita, do mais simplista que pode haver... (fraquinha até!) Mas mesmo na sua simplicidade não deixa de ser metaforicamente verdadeira...
E que seja a luz ao fundo do túnel (esperança) que nos mova e nos faça avançar...
Sou uma optimista preocupada, mas nunca deixando de ser optimista...
Que os acidentes nesta longa viagem e as cicatrizes que ficam marcadas na pele...apenas sirvam para nos ensinar e para nos lembrar que sobrevivemos...e que conseguiremos sobreviver a muito mais...
(desculpa a invasão, mas apeteceu-me deixar uma pegada no teu território (apesar de ser só balelas)...)

o mesmo de sempre. disse...

não foi invasão nenhuma, aparece quando queiras. Pegadas dessas só tenho é de agradecêr!nem são balelas,são só palavras mas servem-nos sempre para alguma coisa, nao?! :)

Anónimo disse...

Pois é...o "mesmo de Sempre" por vezes parece andar mais em curvas e contracurvas de estradas...onde as mesmas são notórias da sua rectitude, enfim...
Parece oportuno dizer uma frase de um amigo meu "a vida é tal e qual um chocolate toblerone", ou seja, tem muitos altos e baixos.....lol.
O que devemos apreender desta vida, principalmente das experiências vividas, é que em todos esse momentos vivemos algo...umas vezes bons outros maus. Mas, sem dúvida alguma são lições de vida.
Confesso, que ultimamente só tem sido "maus" ensinamentos :(
Mas, com tanta tempestade...meus amigos...o sol quando vier vai brilhar de uma forma tão intensa...que até vai doer a vista!!! LLLOOOOLLL

P.s. Bjokas e desculpem o momento de desabafo :p

o mesmo de sempre. disse...

é possivel, eu assim espero e ando a ver se o apanho.lol sem stress.só quero é dormir descansado e ter a consciencia limpa! lol tks anonimo. lol

Tudo de mim. Ou quase. disse...

Depois de tantas palavras inteligentes e frases tão verdadeiras...olha, já não consigo escrever nada. Isto deve ser o mais um período de insuficiência criativa da minha parte. Mas já agora... se roubar uma das tuas fotografias isso dá-me mesmo acesso directo ao inferno? E açoites com pau de marmeleiro só se forem dados pelo diabo em pessoa. Deal? Perdoa, era só para desanuviar o ambiente... ;)

Tudo de mim. Ou quase. disse...

Depois de tantas palavras inteligentes e frases tão verdadeiras...olha, já não consigo escrever nada. Isto deve ser o mais um período de insuficiência criativa da minha parte. Mas já agora... se roubar uma das tuas fotografias isso dá-me mesmo acesso directo ao inferno? E açoites com pau de marmeleiro só se forem dados pelo diabo em pessoa. Deal? Perdoa, era só para desanuviar o ambiente... ;)

Anónimo disse...

Visito tantas vezes o teu blog e nunka tinha visto este post.
So kero ke saibas ke para kem acredita pouko no conteudo da propria escrita, hoje alguem sentiu ke as tuas palavras sao as minhas.
Melhor nao poderias ter expressado o meu estado de espirito actual, obrigada por isso.
Por identificarmos pedaços nossos em outro alguem, faz-nos sentir menos irreais.
Afinal todos sentimos o peso do vazio, mas nem todos konseguem transporta-lo pa palavras.

Real Time Web Analytics