Número total de visualizações de página

sexta-feira, setembro 11, 2009

ja há muito. Free Love with some wind




ha imenso que nao ouvia este épico,(a seguir coloco outro)..vou procurar um post que tinha em tempos para esta musica.
deu-me o sono,amanha logo vejo isso. Nunca me revi,depois sim,agora creio que sim mas nao o quero mais.(ou nao queria de todo).
Hoje,esta época de duvida,reina a questao se tudo será um final de verao,ou um inicio de outono.
Creio que o temperamento,as cores,como devemos nós passar essa transiçao?!..
apanhando as ultimas boas cores e calores de verao,com uma calmia(hoje estragaram-me a ida á costa vicentina prá semana que vem.mas va lá que foi por trabalho.),que aquece a pele ainda durante longa parte do dia..ou devemos deixar o sol esmorecer aos poucos e começar a entender os ventos frios que ja pairam por aí?!
eu adoro estas duas épocas,de verdade,as musicas que se ouvem ja sao outras,os ritmos,os filmes,as cores que se sentem.
eu confesso que tou ansioso pelas primeiras chuvas,por algum cinzento. a serio,nao para servir de pretexto,mas sim que as fotos,as palavras e tudo me sai mais naturalmente.acho que será isso.
o verao...foi. conturbado,bons e maus momentos,mas..sem medos lá se fez. Queria algo maior que nao surgiu. há uns traços de luz de um passado recente,mas lá se dissipou.

Resumindo: Verao, aproveitar até ao ultimo raio de luz de Vida,abraçar o Outono com a calma das folhas a caírem,dos passeios de casaco com uns raios de Sol ainda bem vivo,ouvir algo que aqueça o peito,saborear os sons que nos invadem e porque raio vou eu falar em amor novamente?...



isto nao é para ninguem,tou farto de o dizer..é para ficar assim no ar,só isso.

obs: dou um pack de Hero dos Avos,Machoca e Castanheiro,a quem me disser quem é a "M." ...

3 comentários:

Anónimo disse...

... porque é que há uma tendência para acharmos que o mais triste é o mais belo? Será que, também na fotografia, procuramos (captar/capturar) o que sentimos?

M.

p.s. quanto a voltares ao "amor", não resisto:

"(...)
E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração." :)

Autopsicografia, Fernando Pessoa

o mesmo de sempre. disse...

eu tento captar quando tiro as minhas.Que nao se pense,"a mim".

eu nao me fotografo.
(mania da perseguiçao)

o coraçao está cheio de "foi como entrar,foi como arder,para ti nem foi viver,foi mudar o mundo sem pensar em mim,mas o tempo ate passou e és o que ele me ensinou,uma chaga para lembrar que há um fim.
depois sao os gritos e as noites.
quis sem querer poupar meu corpo ja nao sei quem te abraçou,diz senti teu corpo sobre o meu.
depois a coisa acelera...
enfim nao vou por mais nd.
vou ver o forrest gump agr.nunca vi,

o mesmo de sempre. disse...

e o que é triste nao é belo.nao tem de ser,isto sao dores que terras da lusitania alguem se lembrou de geminar.
metáforas,cada um que se agarre ás suas.
tb tiro sorrisos e pradarias com malmequeres e sol de primavera.
quem és tu?

Real Time Web Analytics