Número total de visualizações de página

quarta-feira, novembro 09, 2011

50/50





































Optimistic, Radiohead.

Noite de Lisboa cheia de chuva. Cinema. 50/50. Gostei muito. Por vezes vejo alguns filmes que me preenchem pelo seu sentido épico, por vezes pelo ritmo, pelos passos dados nas metrópoles cheias de cores, pelos campos luminosos, pelas praias, pelas mãos na terra,pelos olhos pregados no céu, pelo caos, pela dor, pela alegria, pelos abraços e pelos amores. Tudo.
Por vezes, ha simples metáforas que os filmes nos trazem, que nos vão dando pequenas ideias ou imagens do quanto nada do que anteriormente falei realmente importa.
Hoje lembrei-me de momentos passados, de quem ficou, quem partiu, do que aprendi, do que tentei pelo melhor que conseguia, e hoje sei totalmente a resposta.
Basicamente este texto resume-se ás respostas que eu e “tu”chegamos quando passamos por momentos que realmente importam.
Não se fala mais em pratos a girar prestes a partir, não se fala mais no furacão de sentimentos, nada... nada importa mais que a Vida que nos percorre todos os dias.

Hoje vi um filme simples,(como disse no outro dia, “a vida não é como nos filmes, mas sempre temos os filmes”)...que falava do que realmente importava neste tempo que por aqui andamos. Falou de motivos, forças maiores, acasos, azares, amores, Amigos e amigos. Falou de doenças, de paixões, de sentimentos (eu sei que extrapolo sempre os filmes e as metáforas mas pronto...);e ainda que saiba que são mensagens subliminares para que nos identificamos com as mesmas, aqui o afirmo totalmente. Tal como afirmo que é sempre a puta da verdade quando se diz que só sabe como é quem passa pelas coisas, que aí verdadeiramente vemos com quem podemos contar, quem fica connosco, quem sai de cena no primeiro plot point, e quem merece mesmo o nosso carinho.
Está em voga,(pois o Mundo está a mudar), abandonar o pessimismo, mas se assim for, óptimo! As pessoas estão mais despertas, e seja porque motivo for lá vão abrindo os olhos e conseguem ver quem verdadeiramente está por perto.
Este foi um filme que leva a sentir isso. 50/50, uma doença, e a medida da força dos que te rodeiam em te acompanhar até onde tiver de ser. Supostamente, e não sei se vocês sabem, mas “isto” era suposto funcionar de uma forma em que nos damos com os outros, tal como queríamos que se dessem connosco... e não vejam isto pela metade do desprezo por quem saiu, ou por quem não se dignou a esperar um dia; vejam por quem ficou, vejam por quem esteve lá sem vocês darem por isso, vejam pelo que vocês evoluíram com toda a historia, vejam pelo que realmente importa. E este filme fala-nos nisso. Fala-nos no nosso sentimento, na nossa resignação, na abnegada força de quem nos quer bem, e que tão simplesmente vale a pena Acreditar.
Bem sei que isto parece aqueles livros de auto-motivação, mas se alguém o escreveu, se alguém reparou que isto pode ajudar alguém...basicamente é por isso que estou aqui a escrever (horrivelmente).
Hoje pensei um pouco na Vida que é tão breve e até mesmo na sua perenidade. Pensei no quanto devemos manter a cara de rosto levantado, do quanto devemos dizer aos nossos amigos o quanto gostamos deles,(isto não é emoção nem lamechice, divida que tenho...) e se alguém um dia ler isto, se assim o entender que dê uma vista de olhos pelo filme.
Tem uma boa banda sonora, está simples, baratinho, equilibrado, personagens fieis a si mesmos, uma fotografia bem conseguida, mostra-nos metáforas de vida que nos podem ajudar a ser mais Felizes (não, não é a por a cabeça no chão tipo avestruz), tem uma boa dose de comedia, de sentimento..e o resto poderão ver por vocês mesmos.
Eu gostei, recomendo, e tornou o meu dia mais feliz por ter tantos e tão bons Amigos.
Felizmente digo-lhes o quanto são especiais, façam o mesmo,

Lisboa, 090015NOV2011

You- Radiohead.

Sem comentários:

Real Time Web Analytics