Número total de visualizações de página

terça-feira, maio 27, 2008

O primeiro de muitos de Seu Jorge



já era tempo..
"quem nem a Rita á Dora"



("que eu acho que aqui toda a gente gosta de samba!")

O Chico falou
Que a Rita levou
O sorriso dele o assunto
Eu senti seu sofrer, mas pergunto
Se o meu ele ia guentar
A quem tanto queria um presunto
Dei meu corpo morrendo de amar
Onde havia um horizonte defunto
Pus um sol a brilhar

Num instante eu tirei
Suas mãos lá do tanque
Presenteei
Máquina de lavar
Contratei pra passar
Dona Sebastiana
Testemunha ocular do esforço que fiz
Para ver tudo azul
Que até Carvão e Giz
Teriam final feliz na África do Sul

Acontece, ó chico
Você mesmo diz
Que a Rita levou o que era de direito
Acontece que a Dora sem Ter o direito
Levou tudo que eu ia lhe dar
Se não deu pra formar um conjunto
O meu som não podia dançar
Se não deu pra gente ficar junto
É um lá, outro cá.
Lhe dediquei
Lhe dediquei, uma trova, um soneto, um samba canção
Mais é que a danada não tem coração
Tem não, tem não
Sem mais, sem menos, resolve ir embora.

Luis Carlos Da Vila

Sem comentários:

Real Time Web Analytics