Número total de visualizações de página

quarta-feira, março 27, 2013

...há outras historias por fazer.



apetece-me escrever. apetece-me ir correr. apetece-me andar á chuva de alma limpa.
sinto-o. 
Há vontade disso. Tenho-a.
apanhei o balanço do passado dia 17.fiz anos.
matei de vez entropias e pedras. deixo-me levar de peito limpo.
apetece-me molhar o rosto. colocar aquela blusa velha de correr, e ir até ao mar. Como se de uma parede se tratasse, como se nao houvesse mais caminho. correr, correr, largar, suar, sinto-o em mim sem a ofegante vontade do despreendimento. Não preciso. Corro que apenas preciso disso.
estradas molhadas, the zone em loop, adorn, e sure thing's lá para trás. olho para a frente. para os projectos, para os desafios, para os adagios em camara lenta que me acompanham, para as orquestras que se assombram com o rompante dos meus braços.
grito.
vocifero.
não me importa.
perdi, venci, saí de cena de filmes passados.
hoje ha outra historia por fazer. quem sabe onde irá parar. 
prefiro nao pensar, nao planear, nao prevêr, dias bons, dias menos bons, quem nao os tem.

tenho saudades de uma grande cidade. de me sentir pequeno, de nao haver mapa, de simplesmente deixar que o acaso me guie. deixo-o. sinto-o.

como desejava voltar á cidade grande.
como se fosse uma metáfora da novidade a cada canto, da nova musica, da utópica sensação (que existe) de sermos recebidos com musica e "wher'ya from?"..
tenho sede disso. sede de ser eu, e a cidade como na tarde em que lá cheguei sozinho. 
aquela sensação das calças largas, das botas, casaco preto, gorro, phones, saco grande as costas, 33rd street, lexington avenue, o madison ali ao lado. aquele tic tac das cidades grandes que nos levam a vida para a frente. sem medos.

nao precisamos de rodeios, nao precisamos de desculpas, a atitude existe por si só, seja o que for. É leal, como a verdade, nao como os sonhos vendidos por estas bandas. És o que És, nao porque és mais isto ou menos aquilo. porque prefiro assim, prefiro assado...fuck that! fodam-se as escolhas, fodam-se os critérios, as sensações juvenis e as impaciencias do egoista que existe em todos nós. que se foda essa selecçao que fazemos, a vida nao é isso. a vida é aceitar, a vida é ir em frente, a vida é arriscar a vida, a vida é pisar o acelerador e fazer a curva a cortar. é ter o estilo, é ter a emoção, é enfrentar o filme que nos vai tirar uma semana de sono, que nos vai fazer lembrar aquela e a outra pessoa, é ouvir vezes sem conta aquela musica que nos põe la em cima, e lá em baixo.
é isso que faz falta. Atitude dos adagios, das cameras lentas dos beijos na boca que levantam a calçada, do sentido de tudo isto, do MAIOR que algumas almas teimam em nao ver.

viver para trabalhar, seguir a moda, ser mais um e julgar-se o ímpar. somos todos UM! será que nao se apercebem disso?...será que nao se apercebem das putas das energias que vos consomem, que ano após ano vos mata por dentro, que caiem sempre na mesma merda de erro e mesmo assim nao aprendem?..
eu sei que tambem os cometo, tambem sei é certo, mas abram a merda do peito e atirem-se ás balas. atirem-se!





3 comentários:

nAnonima disse...

belíssimo filme. ;)

gostei de te ler, esta noite escreveste para limpar a alma...

E disse...

Tenho corrido à noite. Andei de bicicleta na cidade grande. Mas gostava de correr tambem.

Vanessa disse...

Obrigada pelos teus simpáticos comentários!

Real Time Web Analytics