Número total de visualizações de página

domingo, setembro 14, 2008

By Blitz.pt

Quando os músicos querem mudar o mundo - canções de protesto do século XXI

Revista norte-americana dedica edição às reivindicações dos artistas. Conheça aqui um top de hinos políticos e o manifesto pessoal de Michael Stipe (R.E.M.) e Tom Morello (na foto), entre outros.

"Enquanto figura pública e alguém que escreve música acho que o meu papel é, atavés da música ou de qualquer outro meio em que trabalhe (...) ajudar a comentar e interpretar o tempo em que vivemos", diz Michael Stipe, dos R.E.M, num longo artigo publicado este mês pela revista de música norte-americana Under The Radar .

Em tempo de eleições nos EUA, a publicação que se define como a "solução para a poluição musical" falou com nomes da música habituados a dar a cara aos protestos sociais e fez uma edição especial com dezenas de manifestos.

Com a maioria do meio partidária do democrata Barack Obama na corrida à Casa Branca, aquilo a que Stipe responde não passa de uma questão de fundo: Queremos que os músicos e outras figuras públicas falem de política e será que as opiniões destes fazem alguma diferença?

Tom Morello, dos Rage Against The Machine, é um dos que acha que sim: "Nos últimos anos aconteceram grandes milagres - acabou o apartheid, o muro de Berlim caiu, houve enormes conquistas nas áreas dos direitos humanos e das mulheres. Estas coisas não caíram do céu nem estavam predestinadas. Aconteceram porque as pessoas lutaram por elas".

Ao longo do número, várias fotografias com nomes do rock, hip-hop ou indie, acompanhados dos seus cartazes reivindicativos e um top 10 de canções de protesto dos anos 2000 rematam a edição especial nascida nas eleições de 2004 e causadora de alguma polémica. Será, afinal, do poder das palavras?

Quem o sugere é o também ouvido rapper Chuck D, dos Public Enemy: "A música tem tanto poder como um discurso ou um hino. Pode começar uma guerra ou trazer a paz".

Os manifestos das estrelas

Wayne Coyne (Flaming Lips) - "Sê uma boa pessoa"
Ok Go - "Eles apostam na tua apatia"
St. Vincent - "A guerra está sobrevalorizada "
Tom Morello - "Alimentem os pobres, lutem contra o poder"
Michael Stipe (R.E.M.) - "Jornalistas inchados e sem coragem"
Death Cab For Cutie - "Só uma coisa: boletins de voto preenchidos"
Jarvis Cocker (Pulp) - "Parem de comprar"
Shout Out Louds - "Ninguem quer saber"
Foals - "Volta para a cama América, o governo já resolveu tudo"
Supergrass - "Os golfinhos não são só objectos sexuais"
Jamie Lidell - "Libertem o Cliché Guevara"
Elbow - "Votem!"


Top 10 das músicas de protesto do século XXI ( pela Under The Radar )


1. Bright Eyes - "When The President Talks to God" (2005)
2. Jarvis Cocker - "Cunts Are Still Running The World" (2006)
3. Tom Waits - "Hoist That Rag" (2004)
4. Talib Kweli and Cornel West - "Bushonomics" (2007)
5. Kris Kristofferson - "In The News" (2006)
6. Arcade Fire - "Intervention" (2007)
7. Sleater-Kinney - "Combat Rock" (2002)
8. Elbow - "Leaders Of The World" (2005)
9. Sharon Jones & The Dap-Kings - "What If We All Stopped Paying Taxes" (2002)
10. Bruce Springsteen - "How Can a Poor Man Stand Such Times And Live" (2006)

Foto de: Rita Carmo / Espanta Espíritos

Sem comentários:

Real Time Web Analytics