Número total de visualizações de página

segunda-feira, setembro 22, 2008

a ver...até quando.



não há mesmo uma explicação. sem Karmas demarcados,mas com vontades óbvias, por vezes pensa-se se o estado racional nos deverá invadir ou não. Eis uma dúvida que subsiste desde sempre. Se aceitar algo que me parece pesado demais devo baixar os braços passando por cobarde e garanto que o sono e a guerra nao me assaltam,ou confronto-o como se fosse um jogo egoísta do qual tenho e quero vencer independentemente do que poderá acontecer?!
Talvez sejam apenas meros rasgos que o karma ou "destino" me dão para ultrapassar como tudo o resto. Não creio. Apenas que sinto o cinzento a consumir-me,que sinto as folhas ja a apareceren secas no chão, e que as primeiras gotas ja se fazem notar. No entanto o calor ainda se mantém. Tempos,razões,saudades...quando confrontados com as evidências de uma derrota ou vitória(quem sabe!?) de pouco ou nada valem.Tal como este texto cheio de metáforas absurdas que nao parecen fazer muito sentido.
Sei que nao me quero consumir no cinzento.Sei apenas que "quero".Mas talvez nao esteja escrito,ou entao que ja tenha sido escrito que nao é este o meu dia.
Janelas que se têm de abrir,portões bem pesados, tudo metáforas que me fazem doer as mãos. Sinto o aperto nos dedos,aquele aperto como quando temos algo pesado que nos vai magoando as mãos,mas ainda nao é aqui que ficamos.Tenho de andar mais um pouco com este aperto na mão porque nao é aqui que fico,é lá mais á frente.
são 02.26 e não sei se chego lá com alguma coisa ainda para dar.
sou forte,vou chegar lá.(aperto as maos ,puxo o peso para cima e acelero o passo).

1 comentário:

Grande Querida disse...

faz sentido sim meu.. tens de jogar alguma coisa borda fora da boía, se nao afundas te...

Real Time Web Analytics